Porto Alegre, quinta-feira, 05 de janeiro de 2017. Atualizado às 11h36.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Rebelião em presídio de Manaus termina em massacre de presos

Uma rebelião de mais de 17 horas terminou em massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus. O conflito entre facções criminosas no presídio começou na tarde de domingo (1) e deixou 56 mortos. O motim culminou ainda na fuga de cerca de 200 detentos. Foi a maior matança em prisões do País, após o massacre do Carandiru, em São Paulo, que deixou 111 mortos em 1992. As negociações para o fim da rebelião começaram na noite de domingo, mas só no começo da manhã de segunda-feira se chegou a um acordo para encerrar o conflito. Além de mortes por armas, foram registradas mortes por incêndio e esquartejamento. Em frente ao Compaj, dezenas de familiares foram para a porta do presídio aguardar informações de parentes presos (foto).
 

FOTO Marcio SILVA/AFP/JC