Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h45.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Grêmio

Notícia da edição impressa de 31/01/2017. Alterada em 30/01 às 21h50min

Após perder Walace, direção diz que precisa vender mais jogadores

Celebrada como "a principal contratação do Grêmio", a manutenção do grupo campeão da Copa do Brasil de 2016 para a atual temporada sofreu um duro golpe ontem. Se a confirmação da venda do volante Walace para os alemães do Hamburgo foi recebida com preocupação por parte da torcida, a possibilidade real de que outros atletas deixem o Tricolor traz ainda mais receios em relação ao elenco que irá disputar a temporada 2017 - o primeiro compromisso oficial será nesta quinta-feira, contra o Ypiranga de Erechim, na Arena, pelo Gauchão.
De acordo com o vice-presidente de futebol Odorico Roman, a diretoria depende de mais negociações para não fechar o ano com prejuízo. "Nós temos que ser claros e objetivos. O Grêmio tem no seu orçamento uma entrada de R$ 60 milhões com venda de jogadores. Se não tiver essa entrada, vai ficar descoberto. Dizer que não vai sair mais ninguém é agredir o orçamento. Temos que fazer R$ 60 milhões para manter o equilíbrio do orçamento em 2017", explicou o dirigente.
O valor de venda de Walace não foi tornado público pelo Grêmio, mas especula-se que a negociação envolva € 10 milhões (R$ 33,6 milhões). O clube, porém, tem direito a apenas 60% desse valor, o que dá cerca de R$ 20 milhões. Ou seja: ainda falta arrecadar mais R$ 40 milhões.
Walace era uma das joias do elenco gremista. O jogador de 21 anos, formado no Avaí, fez sua estreia profissional pelo clube gaúcho em 2014 e, desde o Brasileirão de 2015, é titular absoluto. Além disso, o camisa 12 conquistou o ouro olímpico pelo Brasil e teve algumas passagens pela seleção principal.
Com problemas financeiros, o Tricolor tem encontrado dificuldades para montar seu elenco para a Copa Libertadores. Os reforços até aqui são modestos: os laterais Leonardo, Léo Moura e Cortez, apresentado oficialmente ontem, o volante Michel e os atacantes Jael e Beto da Silva.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia