Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 03 de janeiro de 2017. Atualizado às 11h54.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Tragédia

Goleiro da Chapecoense passa por nova cirurgia

Agência Brasil
O goleiro da Chapecoense, Jackson Follmann, foi submetido na tarde de segunda-feira (2) a uma cirurgia no joelho esquerdo para fusão óssea da articulação. Segundo a assessoria de imprensa da unidade Hospitalar da Unimed Chapecó, onde ele permanece internado, a operação transcorreu sem problemas.

Follmann é um dos seis sobreviventes do acidente aéreo ocorrido no dia 29 de novembro na Colômbia, no qual mais de 70 pessoas morreram entre atletas, membros do clube, tripulantes e jornalistas.

Segundo informações do hospital, foi colocada uma haste intramedular para a fixação do tornozelo. "Na mesma ocasião, a equipe revisou novamente o coto de amputação do membro inferior direito, que se encontra em franca cicatrização, sem sinais de processo infeccioso.

Os procedimentos duraram cerca de três horas e o atleta foi encaminhado para a sala de recuperação pós-anestésica", diz a nota da assessoria.

A equipe cirúrgica contou com o médico ortopedista da Chapecoense, Carlos Henrique Mendonça, e com os médicos cooperados da Unimed Chapecó, Marcos André Sonagli e Alexandre Bernardi (ortopedistas) e Gustavo Colonheze (cirurgião plástico), além de equipe de anestesia.

Follmann foi transferido do Hospital Israelita Albert Einstein para o Hospital Unimed, em Chapeco, Santa Catarina, no dia 17 de dezembro. Ele estava internado no Albert Einstein desde o dia 13, quando foi submetido a uma correção cirúrgica de uma fratura, com fixação da segunda vértebra cervical.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia