Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de janeiro de 2017. Atualizado às 09h14.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 11/01 às 10h17min

China inspeciona bolsas de bitcoin em tentativa de conter saídas de capital

Reguladores na China inspecionaram nesta quarta-feira (11) os escritórios de várias bolsas de bitcoin, numa tentativa de conter a tendência de saídas de capital em meio à desvalorização do yuan ante o dólar.
Funcionários de agências do governo visitaram o escritório da BTCC, uma das principais bolsas da moeda virtual na China, para verificar se foram conduzidos negócios sem as devidas autorizações e licenças, afirmou a unidade do banco central chinês (PBoC) em Xangai, em comunicado divulgado em sua página na internet.
A inspeção também teve o objetivo de checar se a BTCC não está envolvida em esquemas de preços combinados e se respeita as regras de combate à lavagem de dinheiro, de acordo com o comunicado.
Outras bolsas foram inspecionadas, incluindo a Huobi e Okcoin, que, junto com a BTCC, são as três maiores em operação na China continental. Porta-vozes das três bolsas não quiseram se manifestar sobre as inspeções.
A recente queda do yuan em relação ao dólar tem levado investidores na China a transferir recursos ao exterior de formas que podem estar burlando os controles de capital do país, como por meio de aplicações em bitcoin ou ouro. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia