Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de janeiro de 2017. Atualizado às 19h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/01 às 20h05min

Bolsas fecham sem direção única em Nova Iorque em sessão marcada por volatilidade

As bolsas de Nova Iorque fecharam sem direção única nesta terça-feira (10), com o Dow Jones enfrentando leve queda e o Nasdaq renovando recorde de fechamento, em uma sessão marcada pela volatilidade. Os preços do petróleo, que apresentaram forte queda hoje, fizeram com que as ações de companhias ligadas ao setor de energia registrassem perdas, influenciando nos índices acionários americanos, que perderam o fôlego durante a tarde.
O Dow Jones fechou em queda de 0,16%, aos 19.855,53 pontos; o S&P 500 fechou estável, aos 2.268,90 pontos; e o Nasdaq apresentou alta de 0,36%, aos 5.551,82 pontos.
Companhias ligadas ao petróleo aceleraram as perdas durante a tarde, pressionadas pelos preços da commodity. Os contratos futuros de petróleo acentuaram as perdas pela segunda sessão consecutiva em meio a preocupações dos investidores com os excedentes globais dos países que concordaram em reduzir suas produções no ano passado. Hoje, a Chevron recuou 0,76% e a ExxonMobil perdeu 1,28%.
Já o setor financeiro voltou a ganhar força nesta terça-feira, com os investidores aguardando a primeira entrevista coletiva do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que será realizada amanhã. O setor foi um dos que mais ganharam desde as eleições presidenciais americanas, em 8 de novembro, devido a promessas do bilionário quanto a corte nos impostos e aumento de gastos em infraestrutura. Além disso, Trump prometeu mudanças na Lei Dodd-Frank, que impõe restrições aos bancos e foi aprovada durante o governo Obama. Hoje, a American Express liderou os ganhos, com alta de 1,04%; o Morgan Stanley avançou 0,82%; o Bank of America ganhou 1,73% e o JPMorgan subiu 0,29%.
Nesta terça-feira, a General Motors informou que deve ter um lucro recorde em 2016 e que os ganhos devem ser maiores no próximo ano devido aos estímulos fiscais de Trump e a um consumo positivo na China. As ações da empresa chegaram a subir mais de 5% durante a sessão e fecharam em alta de 3,72%. Já os papéis do Google registraram queda de 0,14% influenciados pelas negociações da companhia para vender sua operação de satélites para a Planet Labs, de acordo com o The Wall Street Journal.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia