Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de janeiro de 2017. Atualizado às 17h55.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 10/01 às 18h58min

Bovespa mantém viés positivo e sobe 0,70% puxada por ações de commodities

As ações do segmento de commodities voltaram a determinar a direção da Bovespa nesta terça-feira (10), que teve um novo pregão de ganhos. A expressiva alta das ações da Vale voltou a contagiar outros papéis e foi determinante para o avanço de 0,70% do Índice Bovespa, que fechou aos 62.131,80 pontos. A expectativa por um corte mais agressivo da taxa Selic favoreceu um clima mais otimista, enquanto a espera pela primeira entrevista coletiva de Donald Trump incentivou a cautela do investidor.
"A definição da nova taxa Selic é sem dúvida um dos principais vetores da semana. Olhamos com certa cautela o aumento das apostas em um corte de 0,75 ponto na taxa Selic, que se não for confirmado poderá gerar algum movimento de realização. Isso porque alguns investidores buscam se posicionar antes do fato", disse Rafael Ohmachi, analista da Guide Corretora.
Apesar da expectativa de um afrouxamento monetário que favoreça a recuperação da economia brasileira, o analista afirma que a bolsa tem sido movida essencialmente pelo mercado de commodities. Por trás desse movimento dos preços das matérias-primas estão sinais e apostas no aquecimento de outras economias, como a americana e a chinesa. Com isso, o minério de ferro teve uma valorização de 3,2% no mercado local. Vale ON e PNA subiram forte durante todo o dia e fecharam com altas de 7,70% e 6,30%, respectivamente.
As ações da Petrobras, bastante voláteis nos últimos dias, contribuíram para alta do pregão de hoje. Os papéis terminaram o dia no azul com ganhos de 1,67% (ON) e de 0,98% (PN). As altas foram atribuídas à repercussão positiva da emissão externa concluída ontem pela estatal petrolífera. A empresa captou US$ 4 bilhões, com destaque para a forte demanda e custos favoráveis na operação.
"A alta das ações da Petrobras reflete a percepção de confiança do investidor em relação ao papel, que andou bastante castigado pelas questões relacionadas à Lava Jato. Agora isso parece ter ficado um pouco para trás", disse Ohmachi.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia