Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h16.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

porto verão alegre

Notícia da edição impressa de 06/01/2017. Alterada em 05/01 às 17h09min

Espetáculo de abertura do Porto Verão Alegre homenageia Caio Fernando Abreu

Deborah Finocchiaro e Fernando Sessé na peça Caio do Céu

Deborah Finocchiaro e Fernando Sessé na peça Caio do Céu


CLAITON DORNELLES/JC
Michele Rolim
O espetáculo de abertura da 18ª edição do Porto Verão Alegre homenageia o escritor Caio Fernando Abreu (1948-1996). Caio do céu tem sessões para o público neste sábado, às 21h, e domingo, às 20h, no Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro, s/n). Na sexta-feira, ocorre abertura para convidados.
O Porto Verão Alegre convida um grupo para estrear uma montagem a cada ano - desta vez, coube à Companhia de Solos & Bem Acompanhados mostrar seu trabalho com Caio do céu. O projeto também dá continuidade ao piloto Caio em construção, iniciado com o recital ou performática leitura sonora em novembro de 2015, em parceria com a Festipoa Literária.
Em cena estão a atriz Deborah Finocchiaro e o músico Fernando Sessé. A peça tem direção de Luís Artur Nunes, amigo pessoal do escritor e um dos organizadores do livro Teatro completo - Caio Fernando Abreu, ao lado do Marcos Breda. Recentemente, Nunes dirigiu Breda na leitura dramática O homem e a mancha.
A nova montagem transpõe o universo literário de Caio Fernando Abreu, também conhecido como Caio F., para o palco com uma linguagem híbrida - música ao vivo, imagens projetadas e interpretação. A "transcriação", conceitualmente assim chamada por Deborah, é uma prática recorrente no seu trabalho - o mesmo estilo já fora visto em obras de Franklin Cascaes, Mario Quintana e Erico Verissimo.
O roteiro tem como base contos, crônicas, poemas, trechos de cartas, textos teatrais, entrevistas e citações de Caio F. "Márcia de Abreu, irmã do escritor, foi fundamental nesse processo. Ela mostrou textos do Caio que eu desconhecia", relembra a atriz, que já atuou em uma peça do escritor, Morangos mofados (1985), com direção de Luciano Alabarse.
Caio Fernando Abreu é um dos autores mais populares da literatura nacional e, mesmo passados 20 anos de sua morte, ele segue conquistando leitores e fãs, sobretudo do público jovem. É um representante da contracultura: foi jornalista, dramaturgo e escritor. "Caio é extremamente atual, ele contestou valores e falou sobre assuntos que até hoje são tabus, como aids, homossexualidade e espiritualidade. Mas, para mim, o grande legado do Caio é falar da condição humana", conta Deborah.
A atriz salienta que a fase que mais gosta da obra do escritor é quando ele volta ao Brasil em 1994 e é diagnosticado como portador do vírus da Aids. "O que me fisga na obra dele é a sagração da vida, é nesse momento que ele afirma que a vida é um dom que não podemos desperdiçar. Somos criados e educados para eterna juventude - não fomos criados pra morrer, são questões óbvios que esquecemos ou não queremos lembrar", relata.
O espetáculo leva ao palco o próprio Caio, por meio de vídeos com trechos de entrevistas. As apresentações terão tradução para Libras. "O que mais me move é o tema, o que eu estou dizendo, a linguagem que encontramos. Não estou preocupada com nomenclatura e de ser puritana, mas sim de descobrir linguagens que sejam um caminho para dizer o que eu quero dizer", destaca, completando: "Apesar do contexto político, vejo que é hora de continuarmos com entusiasmo e amizade, isso ninguém nos tira".
Caio do céu terá novas sessões dias 31 de janeiro, 1 e 2 de fevereiro, às 21h, no Centro Histórico-Cultural Santa Casa. Deborah também integra a programação do Porto Verão Alegre (www.portoveraoalegre.com.br), que vai até o dia 19 de fevereiro, com mais dois espetáculos: GPS gaza (17, 18 e 19 de janeiro) e Pois é, vizinha (13, 14 e 15 de janeiro).
Caio do céu
Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro, s/n) Sábado, às 21h, e domingo, às 20h.
Ingressos entre R$ 20,00 e R$ 40,00.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Marcos Breda 06/01/2017 20h04min
Espetáculo imperdível !!