Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 15 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h06.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

FESTIVAL

Notícia da edição impressa de 16/01/2017. Alterada em 13/01 às 16h53min

7º Festival Internacional Sesc de Música movimenta Pelotas

Festival Internacional de Música promove espetáculos e cursos

Festival Internacional de Música promove espetáculos e cursos


FLAVIO NEVES/DIVULGAÇÃO/JC
A cidade de Pelotas torna-se a capital da música de concerto a partir de hoje. Por 12 dias, a programação do 7º Festival Internacional Sesc de Música oferece ao público 47 espetáculos, entre recitais e concertos, e 23 cursos de música, com participantes de 16 nacionalidades, reunindo mais de 450 profissionais, em casarões antigos, teatros, igrejas, ruas e parques da cidade. As apresentações são gratuitas e seguem até 27 de janeiro.
A programação começa hoje, às 18h, com o cortejo musical reunindo músicos no Largo do Mercado Público. A Orquestra Unisinos Anchieta, que está entre os destaques, se apresentará no Teatro Guarany, às 20h30min, com participação da banda Quarchêto e do solista Luciano Maia. Além disso, no sábado, a praia do Laranjal recebe o espetáculo Clássicos do jazz, com a Orquestra de Câmara do Festival e a solista Débora Neto.
O encerramento do festival, dia 27 de janeiro, acontece no Largo do Mercado Público e terá atrações como a Orquestra Acadêmica do Festival e os solistas Eiko Senda, Flávio Leite e Frederico Sanguinetti, que trazem no repertório a obra Carmina Burana.
Outro destaque são os recitais de professores, que ocorrem na Bibliotheca Pública Pelotense e trazem grandes nomes de diversos países, como Brasil, Argentina, Áustria, Japão, Uruguai, Alemanha, Rússia, Itália, Bulgária, Eslovênia, França e Estados Unidos.
O festival tem como objetivo incentivar o desenvolvimento da produção musical, fomentar o intercâmbio e o desfrute de bens culturais. As classes, que reunirão cerca de 270 alunos de várias nacionalidades, são de vários instrumentos, como violino, viola, contrabaixo, trombone, saxofone e harpa, entre outros.
Para conferir as apresentações que ocorrem no Theatro Guarany é necessária a retirada de ingressos antecipadamente. Sugere-se a doação de um quilo de alimento não perecível - os alimentos serão direcionados às entidades sociais cadastradas junto ao Programa Mesa Brasil Sesc.
As entradas são limitadas e cada pessoa poderá retirar um par de ingressos por apresentação. Os ingressos serão distribuídos no Sesc Pelotas (Gonçalves Chaves, 914), de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e sábado, das 8h às 12h. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no site www.sesc-rs.com.br/festival.
Em outra vertente, as artes visuais, o festival é complementado pela exposição Leve a minha cidade - Coleção Pelotas, do artista visual Leandro Selister. Ele viveu em Pelotas até os 18 anos, e a relação com a cidade continua até hoje, através de familiares e amigos que residem lá.
A mostra, que retrata diversos pontos da cidade, pode ser vista no Mercado Central até 31 de janeiro. As obras apresentam prédios históricos, como o Theatro Sete de Abril, a Biblioteca Pública, o Museu do Doce e até mesmo os famosos Ladrilhos Hidráulicos, que estão presentes em praticamente toda a cidade.
O objetivo desse trabalho é chamar a atenção para as belezas do patrimônio artístico e cultural dos municípios desenhados. Todos os desenhos estarão à venda, em formato de postais e pôsteres em adesivo, e 10% da verba arrecadada será doada para a Associação dos Amigos do Museu do Doce de Pelotas. A iniciativa é sequência do projeto Leve a minha cidade, que teve início em outubro de 2016 com a Coleção Porto Alegre e a Coleção Expressões daqui.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia