Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de janeiro de 2017. Atualizado às 21h26.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Notícia da edição impressa de 05/01/2017. Alterada em 04/01 às 21h35min

Capital chinês aumenta participação no setor elétrico

A CTG, que opera a hidrelétrica de Três Gargantas, a maior do mundo, entrou no Brasil em 2013 com a aquisição de ativos da portuguesa EDP

A CTG, que opera a hidrelétrica de Três Gargantas, a maior do mundo, entrou no Brasil em 2013 com a aquisição de ativos da portuguesa EDP


ALLENTHEPOSTMAN/VISUAL HUNT/JC
As empresas chinesas continuam aumentando sua presença de forma expressiva no setor elétrico brasileiro. O Fundo Chinês para Investimento na América Latina (Clai Fund) fechou a compra de uma participação em mais de 2 gigawatts em hidrelétricas no estado de São Paulo, que já foram compradas pela unidade brasileira da China Three Gorges (CTG), segundo comunicado da subsidiária local da norte-americana Duke Energy, que concluiu a venda dos ativos aos chineses.
Nos últimos cinco anos, os chineses investiram cerca de US$ 40 bilhões no setor elétrico brasileiro. A própria CTG, que opera a hidrelétrica de Três Gargantas (a maior do mundo), entrou no Brasil em 2013 com a aquisição de ativos da portuguesa EDP. A chinesa já se tornou a vice-líder em geração no País, atrás apenas de empresas do grupo Eletrobras.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia