Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 10 de janeiro de 2017. Atualizado às 20h49.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Tributos

Notícia da edição impressa de 11/01/2017. Alterada em 10/01 às 21h50min

Governo cria programa de regularização tributária

Rachid diz que é difícil mensurar a arrecadação que será recebida

Rachid diz que é difícil mensurar a arrecadação que será recebida


ANDRE DUSEK/ESTAD/
O governo publicou, na quinta-feira, passada a Medida Provisória (MP) que instituiu o novo programa de regularização tributária. A MP permite que pessoas físicas e empresas que possuem dívidas tributárias e previdenciárias possam parcelar esses débitos, sem descontos de multas ou juros. Ao todo, são R$ 184 bilhões em dívidas com a Receita Federal e R$ 1,7 trilhão em débitos inscritos na dívida ativa da União elegíveis ao programa. O governo, no entanto, já sabe que uma parte delas não será recuperada e estima arrecadar R$ 10 bilhões em 2017.
O secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, ponderou que é difícil mensurar a arrecadação em um programa como este. Isso porque o contribuinte pode optar ou não por aderir.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia