Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de outubro de 2016. Atualizado às 12h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2016

Notícia da edição impressa de 31/10/2016. Alterada em 31/10 às 00h27min

Marchezan é o novo prefeito de Porto Alegre

Deputado federal foi eleito com 402.165 sufrágios, 60,5% dos votos válidos

Deputado federal foi eleito com 402.165 sufrágios, 60,5% dos votos válidos


JONATHAN HECKLER/JC
Jefferson Klein e Bruna Suptitz
O deputado federal Nelson Marchezan Júnior (PSDB) é o novo prefeito de Porto Alegre. O tucano foi eleito com 402.165 sufrágios, 60,5% dos votos válidos.
A candidatura do PSDB ao Executivo municipal fez parte do processo de reorganização do partido no Estado, conforme explicou Marchezan após a confirmação da vitória. Ao lado do vice-prefeito na chapa, Gustavo Paim (PP), e de lideranças dos partidos que o apoiaram, o tucano fez o primeiro pronunciamento como prefeito eleito da Capital.
Durante a fala, agradeceu a direção nacional do PSDB, os partidos que compuseram a coligação e os apoios no segundo turno.
Sobre o adversário na disputa, o atual vice-prefeito, Sebastião Melo (PMDB), Marchezan fez apenas uma referência, agradecendo "o Melo e a Juliana (Brizola, PDT) e todos aqueles que colaboraram para que Porto Alegre chegasse aqui".
Atualmente ocupando uma cadeira na Câmara dos Deputados, Marchezan descarta se afastar antes do fim do ano e diz que aproveitará o fim do mandato para "fazer a construção das pontes com o governo federal". Com sua saída, assume a vaga a ex-governadora Yeda Crusius (PSDB).
Marchezan informou que, antes mesmo da eleição, havia conversado com o atual prefeito José Fortunati (PDT) para saber como seria um possível processo de transição. "Combinamos que ele, como prefeito, ia me fazer sugestões de mudança na estrutura, de nomes que ele achava que eram importantes conversar", disse.
Sobre o tamanho da máquina pública, pauta dos candidatos em primeiro e segundo turno, lembrou que o mesmo tema apareceu no discurso dos oponentes, e afirmou: "vamos conversar com muita gente antes de tomar a decisão de o que diminuir ou aumentar. Não vamos começar analisando, de 37 secretarias, quantas têm que diminuir. Vamos começar de zero secretarias para ver quantas são necessárias".
Apesar de falar que irá manter um diálogo aberto após a eleição, ainda durante o dia, Marchezan lamentou as críticas que recebeu durante a campanha. O tucano atribui esse tipo de prática, aliada às notícias negativas nos panoramas municipal, estadual e federal, à insatisfação popular com a política.
"É óbvio que todos nós nos incomodamos com algumas inverdades que foram, de alguma forma, usadas com a finalidade de vencer uma eleição. Este é um problema pessoal nosso. Porto Alegre está acima de problemas pessoais. Nós vamos conversar institucionalmente com todos os partidos", afirmou.
Marchezan começou a manhã do domingo de eleição dando entrevistas às emissoras de rádio da Capital. Votou próximo ao meio-dia, na Escola Duque de Caxias, no bairro Menino Deus. Foi recebido com aplausos por quem o estava esperando no colégio (curiosos, eleitores e correligionários) e com palavras como "eu acredito" e "prefeito".
Esse tipo de "voto de confiança" é enaltecido por Marchezan, que afirma que percebeu um volume gigantesco de pessoas que querem a mudança, algo que não seja governo ou uma alternativa já testada. Para o tucano, o público está mais pragmático.
Segundo Marchezan, a questão de ideologia, com classificações como esquerda e direita, não é mais determinante, mas sim usada como estratégia de marketing. Ele afirma que manterá conversas com todos que tiveram representatividade nas urnas e observará quais partidos e vereadores desejam apoiar o projeto da sua candidatura, não excluindo o PMDB.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 31/10/2016 11h31min
SERÁ QUE A LÓGICA DOS FATOS SERÁ MANTIDA !!!nnParabéns ao novo Prefeito Marchezan que confirmou o favoritismo e não deu chance para o azar contra o candidato da situação Melo. Conquistou democraticamente depois de 12 anos coligados um rodízio no primeiro escalão da prefeitura de Porto Alegre em 2017, mesmo sem o meu VOTO.nnMesmo com um time cheio de reservas, o Grêmio foi extremamente profissional e quase venceu os titulares do Figueirense, o Internacional deve agradecer por este empate de zero a zero.nnO motivado Santa Cruz empatou em um a um dentro do Beira-Rio repleto de torcedores COLORADOS, mas isto nós já sabíamos que poderia acontecer, por que por soberba os nossos jogadores nunca não sabem jogar contra times do Z4, e mais uma vez provaram deste veneno.nnA semana segue, mas fica no ar mais duas questões, será que o time do Cruzeiro com seus titulares virão até a Arena enfrentar também mais de 50 mil torcedores adversários, e virar o jogo contra o Grêmio? nnSerá que o Internacional vai escalar seus motivados reservas para ir até o Horto, jogar muito e fazer os GOLS que deixou de fazer na primeira partida contra o Atlético-MG?nnAja coração, para ver se a lógica dos fatos poderá ser contrariada ou não, mesmo sem pesquisa de boca de urna na Copa do Brasil. nnAbs. Dorian Bueno - Google+, POA, 31.10.2016nnnnnnn