A pesquisa que resultou no Poliway foi desenvolvida ainda no Ensino Médio A pesquisa que resultou no Poliway foi desenvolvida ainda no ensino médio Foto: Pablo Saborido/Divulgação/JC

Jovens gaúchas recebem prêmio por inventar novo tipo de asfalto

O Poliway é cinco vezes mais resistente que o asfalto convencional e 16% mais barato, por conter material reciclado

As estudantes de engenharia Samantha Karpe, 21, e Letícia Camargo Padilha, 22, são as criadoras do Poliway, uma liga cinco vezes mais resistente que o asfalto. Com componentes de plástico reciclado, dispensa o uso do piche e garante o caráter sustentável e mais econômico da pavimentação – sua fabricação seria até 16% mais barata com o reaproveitamento de embalagens descartáveis.
Neste mês, elas foram ganhadoras na categoria Revelação do 21º Prêmio Claudia - uma das maiores iniciativas que reconhecem mulheres com projetos transformadores e de impacto da América Latina.
Mas não foi a primeira vez que as jovens tiveram destaque. Desenvolvido no final do Ensino Médio para a feira de ciências da Fundação Escola Técnica Liberato, de Novo Hamburgo, (Mostratec) em 2012, no ano seguinte o Poliway levou as gurias a exporem o projeto na Turquia, durante a feira DOESEF (Doganata Education Science Engineering Energy Project Fair). Em 2014, participaram do quadro Jovens Inventores, do programa da TV Globo Caldeirão do Huck e este ano foram convidadas para carregar a tocha olímpica na cidade de Camaquã.
“Fomos desafiadas a fazer pesquisa com algo inovador e com um bom resultado”, conta Letícia, que na época tinha 17 anos. Agora, elas precisam da parceria de uma empresa de asfalto para fazer a usinagem e conseguir testar o produto na via. “Lugar é o que mais tem, muita gente está querendo disponibilizar. Mas falta a máquina para fazer o processo e ver no teste de campo como [o Poliway] vai se comportar”, explica.
Por ser mais resistente, o produto tende a ter uma melhor rentabilidade, o que impacta na segurança dos motoristas. “Não vai ter tantos buracos, por exemplo. A má qualidade do asfalto costuma causar acidentes de prejuízo material”, defende.
Atualmente elas estão trabalhando no registro da marca e no desenvolvimento do plano de negócios. “A principal mensagem do prêmio foi ver que as mulheres podem mudar o mundo, por mais que nós precisamos ainda lutar por muitos direitos”
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( 1 )
  1. Everton Pertussatti

    Posso ajud-las com o equipamento. Entrem em contato 51 93775401

Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio