Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 16 de outubro de 2016. Atualizado às 21h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Inovação

Notícia da edição impressa de 17/10/2016. Alterada em 16/10 às 21h28min

Startup lança app nativo para compra de passagens

Valadão e dois sócios criaram a empresa em 2013

Valadão e dois sócios criaram a empresa em 2013


GUICHÊ VIRTUAL /DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
Startup brasileira líder na venda de passagens de ônibus on-line, o Guichê Virtual acaba de lançar seu aplicativo nativo - o primeiro desse segmento desenvolvido com uma linguagem de códigos própria para iOS e Android.
É um diferencial que se reflete diretamente na qualidade da experiência de compra dos usuários, relata o diretor de operações do Guichê Virtual, Halyson Valadão. "Por ser um app nativo, conseguimos tirar proveito das principais funcionalidades que o celular oferece", observa. Isso inclui maior agilidade no carregamento das páginas e funcionalidades adicionais que podem ser oferecidas aos usuários. No Guichê Virtual, por exemplo, o cliente pode identificar seu cartão de crédito para pagamento apenas apontando os números para a câmera do smartphone.
Também foi criada uma funcionalidade que possibilita salvar as preferências e personalizar a experiência de compra para cada cliente, armazenando as suas rotas favoritas e fornecendo sugestões de viagem baseadas em seus hábitos. O sistema de geolocalização apoia esse trabalho de personalização do envio de mensagens para os viajantes. O Guichê Virtual está fechando parcerias com as companhias de ônibus para oferecer promoções especiais para o passageiro que estiver na rodoviária naquele momento, por meio de notificações (push) usando a geolocalização. Será possível até enviar avisos aos clientes no horário em que eles precisarem sair de casa para não perder o ônibus e consultar informações off-line. A expectativa da empresa é que, até 2017, 20% das compras sejam feitas via mobile. O app antigo era nativo - parte desenvolvido com linguagem de celular e parte com estrutura web, como se fosse uma página da internet. "Migramos para melhorar e para sermos úteis quando as pessoas mais precisam. Por isso, agora estamos trabalhando para facilitar os canais de suporte no app", revela Valadão.
A empresa também está apostando no aprimoramento sua solução mobile de olho em pesquisas que mostram que os brasileiros estão em 1º lugar na lista dos usuários que mais interagem com os apps que baixam. De acordo com estudo realizado pela Cheetah Ad Platform com 52 milhões de pessoas em nove países, a média mundial é de 27 apps utilizados e uma interação mensal com 39 aplicativos - os números do Brasil são superiores: 29 e 53, respectivamente.
A startup foi fundada por Thiago Carvalho, Rodrigo Barbosa e Halyson Valadão, engenheiros do Instituto Tecnológico Aeronáutico (ITA). A empresa entrou em operação no início de 2013 com capital próprio dos sócios, e em 2016 recebeu sua primeira rodada de investimentos, liderada pela gestora de capitais Kaszek Ventures. Em 2016, a empresa trabalha para consolidar a sua liderança e superar a marca de 2 milhões de passagens vendidas.

Plataforma busca novas ideias de alimentos e bebidas

Criada com o objetivo de reunir novas ideias de produtos voltados ao mercado de alimentos e bebidas, a plataforma de inovação aberta Planta já contabiliza 235 ideias postadas por consumidores de perfis diversos, como profissionais do segmento de alimentação, estudantes e usuários que querem contribuir com novas perspectivas que poderão até mesmo chegar ao mercado no futuro.
Entre as sugestões inusitadas que surgiram estão a criação de uma mistura em sachê para a produção de smoothies, um novo tipo de sorvete para ser consumido quente, palitos de picolé comestíveis e forminhas de cupcakes aromatizadas e comestíveis.
A plataforma foi idealizada pela Duas Rodas, player brasileiro na fabricação de ingredientes para a indústria de alimentos e bebidas. O objetivo é investir em um movimento mais aberto e acessível, onde outras empresas podem fazer uso das ideias e criar desafios específicos para levar a indústria de alimentos e bebidas brasileira a um novo passo.
"Queremos incentivar a inovação colaborativa no segmento alimentício. Uma nova ideia sempre traz um estímulo inovador, pois para viabilizá-la é preciso estudar novas texturas, sabores, aplicações, formulações e ingredientes", explica o coordenador de Inovação da Duas Rodas e responsável pelo projeto, Fernando de Jesus.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia