Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 10 de outubro de 2016. Atualizado às 10h21.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

10/10/2016 - 10h24min. Alterada em 10/10 às 10h24min

Taxas de juros rondam estabilidade de olho em PEC do teto de gastos

Os juros futuros começam o dia oscilando entre margens estreitas, com viés de alta. O investidor monitora nesta segunda-feira (10), a entrevista do presidente Michel Temer ao vivo à Rádio Estadão, em meio à expectativa de que a PEC 241, do teto de gastos públicos, seja votada nesta data no plenário da Câmara.
Às 9h30min, o DI para janeiro de 2018 estava a 12,00%, na máxima, de 11,96% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 exibia 11,27%, de 11,25% no ajuste anterior.
Temer disse que acha que "é perfeitamente possível" aprovar a proposta. "Não pensamos em plano B, apenas plano A", afirmou, durante a entrevista. No esforço para que a PEC passe no Congresso, o presidente conseguiu reunir no domingo, em jantar no Palácio da Alvorada, 420 pessoas, dos quais 210 eram deputados e senadores. Antes chegou a ligar pessoalmente para vários deputados indecisos e também almoçou com líderes da base aliada para discutir a matéria.
Mais cedo foi divulgado o Boletim Focus, com revisões para baixo para inflação, o que é positivo, mas não chega a pesar nos negócios. Após o IPCA, os economistas do mercado financeiro reduziram suas projeções para a inflação em 2016 e 2017.
O Relatório de Mercado Focus mostra que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - este ano passou de 7,23% para 7,04%. Já o índice para o ano que vem foi de 5,07% para 5,06%. Há quatro semanas, apontava 5,12%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia