Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de outubro de 2016. Atualizado às 13h03.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 31/10/2016. Alterada em 31/10 às 14h07min

O sucesso da equinocultura no Brasil

André Gelfi
O Brasil de 2016 tem problemas econômicos, sociais e políticos de toda ordem. Mas há um Brasil que é sucesso a cada ano que passa: o do agronegócio. Neste campo, crescemos mais, os números e a produtividade só aumentam, independentemente das crises que o País enfrenta. Foi o único setor com PIB positivo em meio ao terremoto da instabilidade econômica que assolou a nação em 2015, crescendo 1,8%, segundo o IBGE. Analistas acreditam que o desempenho do segmento seguirá em alta entre 1,5% e 2,2% neste ano.
Em meio a toda esta situação positiva, há um setor do agronegócio que lidera folgado no que diz respeito a crescimento: a equinocultura. Nos últimos 10 anos, a indústria do cavalo viu seu faturamento saltar 113%, quase 12% ao ano. Em 2006, o setor movimentava R$ 7,5 bilhões. No ano passado, atingiu R$ 16 bilhões. Esta pesquisa foi comandada pela Confederação Nacional da Agricultura e conduzida pela Esalq - Escola Superior de Agronomia Luiz de Queiroz (USP), por intermédio do Departamento de Economia Aplicada (Cepea). Difícil achar um setor formal da economia brasileira com resultados tão positivos.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia