Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de outubro de 2016. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

logo
COMENTAR | CORRIGIR

Vinícola Pizzato Ltda.

Notícia da edição impressa de 06/10/2016. Alterada em 05/10 às 20h47min

Foco na melhoria do processo de fermentação

Oxigenação controlada incrementa produção

Oxigenação controlada incrementa produção


VINÍCOLA PIZZATO/DIVULGAÇÃO/JC
Empresa familiar especializada em vinhos finos, a Vinícola Pizzato Ltda. tem nas suas raízes a paixão e a dedicação no trabalho com uvas e vinhos, atividade que foi aperfeiçoando ao longo de sua trajetória. O cultivo de vinhas teve origem na Itália para a elaboração de vinhos em pequenas quantidades e continuou depois da vinda para o Brasil. Inicialmente, apenas para consumo da família, mas foi crescendo gradativamente, e a produção de uvas passou a ser comercializada para vinícolas da região da serra gaúcha, onde os Pizzato se estabeleceram.
A produção vitivinícola, que teve início em Monte Belo do Sul, a partir do final da década de 60, passou para o Vale dos Vinhedos e, em 1998, o antigo sonho de produzir vinhos finos para comercialização foi concretizado como resultado da parceria familiar. Com o desenvolvimento da atividade e o crescimento do mercado brasileiro de vinhos finos, novos investimentos em processos são necessários. Com essa visão e interessados em sempre melhorar a produção, os sócios partiram, então, para a proposta de um projeto para uso da oxigenação controlada em processos de elaboração (fermentação) de vinhos.
Essa técnica é utilizada em outros setores e, em pequena escala, na indústria de vinhos, mas ainda com custo muito elevado para empresas de pequeno porte. O caráter inovador do projeto que teve apoio do Tecnova RS é o da utilização desta técnica de maneira automatizada. O enólogo Flávio Pizzato informa que a ideia surgiu a partir da observação de tecnologias em estado da arte sendo adotadas em outras regiões vitivinícolas do mundo. O objetivo foi possibilitar a utilização da técnica a preços mais compatíveis, possibilitando a difusão do seu uso. Ele relata que o projeto já gerou protótipos que agora estão em final de validação para que seu uso possa ser ampliado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia