Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de outubro de 2016. Atualizado às 22h38.

Jornal do Comércio

logo
COMENTAR | CORRIGIR

CellVet Medicina Regenerativa e Consultoria Científica Ltda.

Notícia da edição impressa de 06/10/2016. Alterada em 05/10 às 21h33min

Projeto pretende buscar recuperação com células-tronco

Resultados de pesquisa com cães têm sido satisfatórios, relata Nance

Resultados de pesquisa com cães têm sido satisfatórios, relata Nance


CELLVET /DIVULGAÇÃO/JC
A permissão para o uso de células-tronco em pesquisas no Brasil abriu um leque novo de possibilidades para diferentes áreas da medicina e até mesmo na medicina veterinária. Nesse contexto, a CellVet Medicina Regenerativa e Consultoria Científica Ltda. está realizando um projeto que visa criar um produto de engenharia de tecidos que substitua a cartilagem em pacientes com lesões resultantes de processos traumáticos ou degenerativos. A pesquisa está em sua primeira fase, onde se está buscando a eficácia para tratar as contusões espontâneas de cães.
A tecnologia consiste em realizar o isolamento e a caracterização de células-tronco, e sua combinação com biomateriais e fatores de crescimento que induzem na formação de cartilagem, reparando a lesão existente. A diretora científica da CellVet, Nance Nardi, constata que se a solução se mostrar boa para o tratamento dos cachorros, posteriormente se poderá cogitar a criação de um procedimento semelhante para os humanos, assim que seja obtida liberação legal para isso.
Na segunda etapa do projeto, a CellVet deve fazer o desenho de um estudo clínico técnico para os testes com pessoas. "No caso dos cães, estamos visando ao tratamento da displasia coxofemoral, que é uma lesão na articulação da pata com o quadril. Em humanos, existem doenças equivalentes em joelhos e quadril", sintetiza a pesquisadora da companhia focada em medicina veterinária regenerativa.
Os resultados obtidos para o tratamento dos cachorros têm sido positivos, conforme destaca Nance. E tudo leva a crer que, no futuro, um tratamento semelhante com as células-tronco poderá ser realizado entre os humanos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia