Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 06 de outubro de 2016. Atualizado às 01h23.

Jornal do Comércio

logo
COMENTAR | CORRIGIR

Arbra Engenharia Industrial Ltda.

Notícia da edição impressa de 06/10/2016. Alterada em 06/10 às 01h28min

Máquina de reparo de dutos é desafio para águas profundas

Equipamento permite reparos em águas profundas

Equipamento permite reparos em águas profundas


ARBRA ENGENHARIA INDUSTRIAL/DIVULGAÇÃO/JC
A Arbra Engenharia Industrial Ltda., criada em 2007, nos últimos quatro anos desenvolveu projetos relacionados à tecnologia de reparo de dutos para a indústria de petróleo e gás. Partindo de soluções para reparo de dutos rígidos terrestres até o reparo de linhas flexíveis submarinas que operam em águas profundas e ultra profundas, sua expertise já resultou na qualificação em laboratório de dois diferentes diâmetros de dutos flexíveis submarinos reparados com a tecnologia desenvolvida pela empresa.
Esses reparos foram aplicados por equipamento projetado e idealizado pela Arbra, mas que tem sua operação restrita para ambientes secos. O desafio do projeto com o Tecnova RS foi desenvolver e fabricar uma Máquina de Reparo Submarino (MRS), que possa aplicar a tecnologia de reparo em um ambiente de operação extremamente desafiador, pois não pode contar com mergulhadores e as condições de pressão são elevadas (na ordem de 200 atmosferas). Para tanto, metas foram traçadas, incluindo desde a consulta de soluções já existentes até a aplicação do reparo em águas profundas com a MRS projetada e construída pela Arbra.
Um dos sócios-fundadores da empresa, Leandro Vanz de Andrade afirma que o projeto está em fase final de testes e comercialização. "Nosso projeto demanda muito desenvolvimento e investimento, com retorno financeiro no médio e longo prazos. O auxílio financeiro do Tecnova é de suma importância para materialização de projetos com essa característica", destaca. O reparo de dutos em águas profundas é uma tarefa extremamente importante para a indústria de óleo e gás não apenas por questões econômicas, mas pelos riscos ambientais que os rompimentos podem representar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia