Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de novembro de 2016. Atualizado às 10h53.

Jornal do Comércio

logo
COMENTAR | CORRIGIR

Inventiva Indústria e Inovação em Produtos Cosméticos Ltda.

Notícia da edição impressa de 06/10/2016. Alterada em 24/11 às 11h56min

Nanotecnologia para cosméticos

Renata projeta lançamento mundial dos produtos

Renata projeta lançamento mundial dos produtos


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Sediada em Porto Alegre, a Inventiva Indústria e Inovação em Produtos Cosméticos Ltda., empresa focada em pesquisa e desenvolvimento no setor de cosméticos, está realizando um projeto que resultará na criação de uma série de insumos baseados em nanotecnologia voltados ao tratamento de doenças infecciosas de pele. Os ativos, como são chamados, devem ser inseridos em produtos que ajudam a combater acne, dermatite seborreica, onicomicose e candidíase. Recém-adquirida por uma empresa inglesa, a companhia gaúcha planeja lançar mundialmente os frutos de sua pesquisa.
A Inventiva é especializada apenas na etapa de na fabricação dos ativos. "Isso significa que, em um creme antirrugas, por exemplo, fazemos apenas a parte que vai atuar na prevenção às rugas. O creme, o cheiro e todas outras características são feitas pela indústria", resume a sócia-fundadora da Inventiva Renata Raffin. Ao longo de dois anos, a iniciativa pesquisou e selecionou ativos em testes microbiológicos in vitro para fazer a seleção dos que possuem maior eficácia. Inicialmente, a intenção era produzir três lotes-piloto de cada um dos produtos para validação do processo e a posterior venda aos mercados interno e externo.
Pelos resultados de momento, o projeto conduzido dentro do Tecnova-RS deve resultar no desenvolvimento de até seis tipos de ativos diferentes. Eles serão encapsulados por meio de nanopartículas biodegradáveis, possibilitando o uso em cosméticos.
Em quase uma década de atuação, a empresa já criou mais de 40 tipos de ativos diferentes. "A cada lançamento que fazemos e quanto mais inovação há, ganhamos mais visibilidade", salienta Renata. O reconhecimento pelo trabalho veio em junho deste ano, com uma proposta de aquisição realizada pela Croda. A partir de então, a Inventiva se tornou uma das divisões dentro da companhia inglesa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia