Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de outubro de 2016. Atualizado às 22h28.

Jornal do Comércio

logo
COMENTAR | CORRIGIR

MICROMOS ENGENHARIA SOCIEDADE SIMPLES LTDA.

Notícia da edição impressa de 06/10/2016. Alterada em 05/10 às 20h59min

Gestão eficiente das luzes

Equipe  desenvolveu rede de iluminação inteligente

Equipe desenvolveu rede de iluminação inteligente


MICROMOS/DIVULGAÇÃO/JC
A Micromos Engenharia Sociedade Simples Ltda. desenvolveu uma rede de iluminação inteligente, controlada digitalmente. O sistema está voltado para lâmpadas LED, de uso cada vez mais crescente junto à população, que são dotadas sinal wireless. Dessa maneira, é possível aumentar a eficácia da gestão das luzes, acendendo ou apagando de maneira remota ou até mesmo controlando a intensidade dela.
O sócio-fundador Celso Peter explica que, com a tecnologia, casas, prédios, bairros e até cidades poderão fazer a gestão da iluminação de maneira mais eficaz. Para realizar o controle, o usuário necessita cadastrar as lâmpadas no programa de computador. "Ali será possível monitorar e controlar remotamente a rede. Você consegue enxergar cada luminária, vê se há problema em alguma, pode ligar, desligar e ajustar a intensidade", relata. As lâmpadas compatíveis com a plataforma digital serão fabricadas por uma empresa parceira da Micromos e devem ir ao mercado em breve. Já o software será disponibilizado diretamente pela companhia de engenharia.
Com o sistema, será possível obter maior eficiência energética, já que o consumo é mais responsável e a durabilidade da luminária aumenta.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia