Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 19 de junho de 2016. Atualizado às 22h15.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Inovação

Notícia da edição impressa de 20/06/2016. Alterada em 19/06 às 20h45min

Startup aposta em site de venda de ingressos

Rodrigo Cartacho prevê R$ 100 milhões em transações neste ano

Rodrigo Cartacho prevê R$ 100 milhões em transações neste ano


SYMPLA /DIVULGAÇÃO/JC
Patricia Knebel
Quatro mil eventos simultâneos estão disponíveis atualmente na plataforma da startup mineira Sympla, player de tecnologia aplicada à venda de ingressos. Em quatro anos de operações, a empresa já se tornou o site com maior número de eventos sendo oferecidos, entre gratuitos ou pagos. Já são mais de 4 milhões de ingressos vendidos, média de 7 a cada minuto, em 2 mil cidades.
De aniversários a palestras, congressos, workshops, e grandes shows, o ambiente criado com tecnologia 100% própria possibilita que os organizadores entrem no site, se cadastrem e, a partir daí, possam fazer a gestão personalizada de todo ciclo do evento que pretendem realizar.
Isso inclui desde as inscrições até o pós-evento, com pesquisas de satisfação e envio de certificado. "O produtor tem todo poder e liberdade na mão para gerenciar evento a partir da nossa plataforma", comenta o afirma o cofundador e CEO da Sympla, Rodrigo Cartacho. Ele tem ao seu lado, como sócios e cofundadores, Marcelo Cartacho e David Tomasella.
Os eventos gratuitos podem usar os serviços oferecidos pela plataforma sem nenhum custo para os organizadores. Já nos pagos, a Sympla recebe 10% do valor do ingresso e fica responsável por todo processamento de pagamento. "A nossa margem é baixa, então estamos trabalhando para ter um volume cada vez mais alto de eventos oferecidos", conta.
Essa estratégia será reforçada em breve. A startup, que cresce mais de 175% ao ano, acaba de receber um aporte de R$ 13 milhões da Movile, multinacional brasileira líder em mobile commerce na América Latina. Os recursos chegam para reforçar a operação, que está de olho no crescimento dos investimentos no setor de tickets e no segmento de eventos do it yourself.
Com isso, a meta é investir em inovação para conseguir apresentar ao mercado novas formas de interação e experiência em eventos. "O nosso foco é oferecer a melhor experiência para a descoberta de eventos e compra de ingressos do País e as ferramentas de gestão para os produtores dos eventos", afirma Cartacho. A Sympla foi eleita Startup do Ano no Spark Awards 2015, prêmio realizado pela Microsoft e ABStartups que reconhece as iniciativas e destaques do segmento.
A expectativa é de continuar crescendo forte, ultrapassando R$ 100 milhões transacionados on-line em 2016. Em 2015, a operação superou a meta de R$ 40 milhões. "Sabemos que a expertise da Movile nos ajudará a aumentar o potencial de liderança no setor de tickets, e aprimorar a experiência mobile dos usuários para encontrar os melhores eventos", diz Cartacho.
Dados da Associação Brasileira de Empresas e Eventos para 2014 mostram que a indústria de eventos do País movimenta, por ano, mais de R$ 209 bilhões e atende mais de 200 milhões participantes. O CEO e fundador da Movile, Fabricio Bloisi, acredita que ainda há muito a ser explorado no mercado de tickets, não só no Brasil, mas em todo o mundo. "No futuro, as pessoas irão comprar todo tipo de ingresso por meio de seus celulares. Será possível checar as melhores opções perto de você rapidamente, de acordo com seu gosto e concluir a compra por meio do seu smartphone, em qualquer lugar", observa.

Perto lança terminal de pagamento com acessibilidade

A Perto desenvolveu um terminal de pagamento acessível. O Veloh possui um teclado em braille e sistema de voz, que orienta a pessoa na navegação. A solução atenderá principalmente o mercado brasileiro. No País, segundo pesquisa do IBGE, 80% dos 24,6 milhões de pessoas que possuem alguma deficiência são cegas ou possuem baixa visão.
"Hoje em dia praticamente não se carrega mais dinheiro e o uso de cartões de crédito ou débito segue em crescimento. Logo, os portadores de necessidades especiais precisam ser inseridos nesse contexto", analisa o gerente geral da Unidade de POS da Perto, Cristiano Porto.
Por ser um terminal multifuncional e com capacidade de processamento similar a de um computador, o Valoh pode ser utilizado como um correspondente bancário, entre outras aplicações. Por meio da câmera, o equipamento permite abrir uma conta, pois gera imagens de comprovantes de documentos e disponibiliza um teclado virtual com touchscreen amigável. No caso de pagamentos, o sistema lê código de barra e QR Code por meio da imagem capturada e faz a captura do cheque depositado, com possibilidade de impressão no recibo da transação e/ou envio desta imagem de forma remota para o banco.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia