Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de junho de 2016. Atualizado às 19h36.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

Acontece

Notícia da edição impressa de 10/06/2016. Alterada em 09/06 às 18h47min

Excesso no espaço

A exposição Horror vacui tropical (experiência 2), com curadoria de Gaudêncio Fidelis, abre neste sábado, às 11h, no LabART 760 (Marechal Floriano, 760), reunindo 23 obras. A mostra aborda a manifestação do excesso na ocupação do espaço. O termo "horror vacui", que designa "medo do vazio", é uma característica que aparece na produção artística desde a antiguidade, nas exposições da década de 1930, e no design e na decoração mais recentemente.
A seleção trata da ocupação do espaço a partir de uma perspectiva produtiva, recusando a estética minimalista do "cubo branco", padronização muito comum na museografia hoje. A exposição inclui obras de períodos diversos da produção dos artistas - Ana Norogrando, Britto Velho, Dudi Maia Rosa, Eduardo Haesbaert, Flávio Morsh, Frantz, Ilsa Monteiro, Oswaldo Maciá, Romanita Disconzi e Wilson Cavalcante. O LabART 760 funciona de segundas a sextas-feiras, das 14h às 18h; e aos sábados, das 10h às 15h. A entrada é franca.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia