Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de maio de 2016. Atualizado às 20h44.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Novo Governo

16/05/2016 - 20h44min. Alterada em 16/05 às 20h44min

Economistas dividem opiniões sobre indicação de Maria Sílvia para o Bndes

Agência Brasil
O economista Cláudio Consídera, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), considerou "fantástica" a indicação de Maria Silvia Bastos Marques para a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), anunciada hoje (16) pela assessoria do Palácio do Planalto. Mas há opiniões divergentes a respeito da competência dela para o cargo.
"É melhor que a encomenda", comemorou Consídera. Para ele, Maria Sílvia é uma executiva "tarimbada, vai ser ótimo para o Bndes. E tem a vantagem de ser mulher". Maria Sílvia presidiu a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e a Empresa Olímpica Municipal do Rio de Janeiro, foi diretora do próprio Bndes e secretária de Finanças da prefeitura carioca, entre outros cargos que exerceu em sua vida profissional. "Tem um currículo longo. Foi uma grande escolha", reforçou Consídera.
Já o vice-diretor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Renaut Michel, apesar de reconhecer que Maria Sílvia é uma "pessoa muito competente", disse não saber se é adequada para presidir um banco de desenvolvimento. Considera que ela é habilitada para muitos cargos na área da economia, "como excelente economista", mas, para a área de desenvolvimento, ele prefere esperar um pouco mais para dar uma opinião mais profunda.
O professor João Sicsú, do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi categórico: "É um desastre". Referiu-se não só à indicação de Maria Sílvia como a todas as ações tomadas pelo governo interino de Michel Temer. "Tudo é um desastre. Não só o Bndes".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia