Porto Alegre, segunda-feira, 25 de janeiro de 2016. Atualizado às 00h21.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
25°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1080 4,1100 1,34%
Turismo/SP 3,8700 4,3200 0,91%
Paralelo/SP 3,8700 4,3200 0,91%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Consumo Notícia da edição impressa de 22/01/2016. Alterada em 21/01 às 21h31min

Feira do Material Escolar tem movimento intenso

FREDY VIEIRA/JC
Marinéia e a filha Karen, de Jaguarão, aproveitaram o passeio pela Capital para comprar alguns itens

Adriana Lampert

O primeiro dia da 26ª edição da Feira do Material Escolar em Porto Alegre foi de movimento intenso na tenda armada em 600 metros quadrados da Praça da Alfândega, no Centro da cidade. Consumidores satisfeitos com os descontos de 5% a 15% nos produtos encheram cestas de compras e mantiveram permanentes pequenas filas nas seis caixas-operadoras do espaço. Outros preferiram apenas circular pelo espaço, nesta quinta-feira, consultando preços. "Atraiu muita gente, desde o horário que abrimos as portas. Esperamos um movimento diário em torno de duas mil pessoas", comenta o gerente da feira, João Batista Carvalho.
"Compramos uma mochila por R$ 29,90 e cadernos para 10 matérias por R$ 7,60. Os preços estão muito bons - praticamente a metade do valor cobrado nas lojas de Jaguarão, onde moramos", afirma a dona de casa Marinéia Ferreira Espinosa, 39 anos. A passeio pela Capital, ela aproveitou para ir ao evento pesquisar valores de material escolar para a filha Karen e o afilhado Welington, ambos de 11 anos. "Está muito mais em conta. Antigamente, valeria a pena atravessar a fronteira e comprar em Rio Branco (Uruguai). Mas com a alta do dólarficou inviável." A professora Simone Vianna, 50 anos, também foi aproveitar os descontos para comprar material escolar para os dois filhos. "Estou gostando muito. Comparando com outras lojas, estamos encontrando junto qualidade e preço baixo na maioria dos produtos. Também a oferta está bem diversificada."
A dona de casa Eliane Ramos de Souza, 52 anos, encontrou diferença de preços, porém inverso ao esperado. "Ainda não vou comprar, pois encontrei a mesma caneta quatro pontas com preços mais baixos (em até R$ 2,00) em lojas do Centro", comenta a mãe de Nicolas Souza, que cursará o sétimo ano do Ensino Fundamental. "Mas ainda quero conferir os preços dos cadernos, compasso, régua, lápis de cor e borracha", pondera. "Achei pouca a diferença de preços", criticou a atendente de caixa, Luana Ribeiro, 34 anos, que foi ao espaço na Praça da Alfândega em busca de cadernos, estojo, canetas coloridas, réguas, entre outros produtos para a filha Bruna, 16 anos, que está finalizando o Ensino Médio.
O representante de uma marca de material escolar, Gercio Carbonel, participa há 15 anos do evento. "Estamos com 300 itens na feira. É sempre uma oportunidade para o fornecedor, pois negociamos os produtos com descontos e ganhamos em volume", afirma. Representantes de 25 marcas do setor estão vendendo seus produtos com descontos.
"A maior vantagem da feira é que os produtos ficam um longo período com descontos, o que dá tempo para os consumidores pesquisarem também nas lojas e, com este parâmetro, escolherem e comprarem onde entenderem que é mais adequado", destacou o titular da Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (Smic), Antonio Kleber de Paula. Ele e o prefeito José Fortunati abriram oficialmente o evento e circularam pelos corredores lotados de produtos.
"A Feira do Material Escolar serve também para regularizar os preços de mercado, estimulando que outras empresas apliquem descontos no período de vendas para o volta às aulas", avalia Fortunati. O prefeito ainda destaca a acessibilidade do local e o conforto que propicia, com ambiente climatizado.
A feira será realizada até o dia 5 de março, com exceção de domingos e feriados. De segunda a sexta-feira, o horário de funcionamento é das 9h às 19h. Aos sábados, das 9 às 18 horas.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Intenção de consumo das famílias sobe 1,3% em janeiro ante dezembro
Apesar de aumento, pesquisa da CNC mostra que, em relação a janeiro de 2015, houve recuo de 35,3%, indicando persistência da insatisfação das famílias.
Alta da carne bovina impõe dieta do bifinho Lojistas reveem operações em meio à crise

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo